Diário de Gravidez – 1° Trimestre

Oiee lindezas! Desde que descobri minha gravidez, eu tenho investido boa parte do meu tempo lendo sobre gravidez, bebes, gestantes, relacionamento pós filho… E hoje me deu uma vontade de compartilhar a minha experiência nesse primeiro trimestre.

Se eu pudesse resumir esses três meses em uma palavra, seria: MEDO seguido de muita ansiedade! Então, já aviso que esse texto não será muito romântico, vamos lá?

Bom, tinha mais ou menos 5 anos que eu não tomava anticoncepcional e minha menstruação era super reguladinha! Com cinco dias de atraso resolvi fazer o exame de urina por puro desencargo de consciência, e fui invadida por um turbilhão de emoções ao ver a segunda listinha indicando positivo! Eu pulava, eu gritava, eu olhava sem acreditar… E logo resolvi fazer o de sangue para confirmar! Suspeito que o povo do hospital achou que eu tinha probleminha já que eu sair gritando pra todo mundo que eu estava gravida! Juro, foi a maior emoção que já senti na minha vida!

Mas logo essa explosão de felicidade deu lugar a um medo irracional. Checava minha calcinha a cada xixi, observei cada alteração no meu corpo e os sintomas, comemorei cada um… até mesmo a primeira vez que tive enjoo, a primeira azia, os seios doloridos. E as tal das 7 semanas que não chegava pra eu fazer a 1° ultrassom? Gzuis! Lá fomos nós, saco gestacional, embrião e pá… batimento cardíaco! Aquele tumtum que fez eu chorar sem perceber.

Emoção que deu lugar ao medo do AE (aborto espontâneo). As doze semanas mais demoradas da minha vida! Parece que durou um ano… Meditei, tentei acalmar meu espirito e mandar energias boas pro meu bebe, enquanto todo mundo estava ansioso pra saber o sexo… eu só estava desejando que tudo continuasse bem por mais uma semaninha e comemorei cada semana que passou. Tranquei minha matrícula do pole dance, tentei me alimentar e me hidratar melhor, conversei com amigas grávidas e aos poucos o terrível pensamento: “será que ele ainda está vivo?” foi dando lugar para curtir esse momento lindo de gerar uma vida.

Sexagem! Chá de revelação! E mais uma explosão de emoção! Meu Arthur! Meu menino! Meu primeiro filho. Aos poucos tá caindo a ficha, estou grávida mesmo! Estou gerando um piquituxo <3

Eu ainda sinto medo em alguns momentos. São muitas mudanças, e não é esse “frufru” que todo mundo fala. Você não descobre que está gravida e vira uma nuvem de amor, e isso não significa que você não ame seu filho ou não ame esse momento!

Se está passando por essa fase guarda essa dica: Não se cobre tanto! Está tudo bem sentir medo, mesmo que ninguém ao seu redor entenda! Essa cobrança por esse sentimento de supermãe hiper feliz só vai te causar frustração, culpa e dor. Jamais se compare com outras grávidas! Tudo tem o seu tempo e é necessário respeitar o seu momento.

Não se esqueça de contar com o apoio das pessoas que te amam. O meu marido foi essencial para meu bem-estar psicológico.

Confesso que ao fazer a morfológica do 1° trimestre eu fui invadida por um amor incondicional e estou explodindo de felicidade de saber que meu pequeno está desenvolvendo bem!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *