Renasci

Respiro, penso, fixo o olhar na parede e me lembro… Hoje faz 10 anos.

Um turbilhão de sentimentos invade minha alma, um misto de alivio, de paz, de tristeza, de amor… Nem sei definir essa imensidão de emoções. Sentimentos que ficaram presos e abafados ao longo dos anos. Dor contida que finalmente se esvai conforme as mudanças interiores ocorrem. Um mundo novo se abrindo com infinitas possibilidades para uma mulher mais preparada para a caixinha de surpresa que é a vida.

10 anos. Uma decisão que impactou a minha vida de inúmeras maneiras. Menina inexperiente, sem emprego, sem amigos, tomando uma decisão de uma vida… Lembro-me de voltar pra casa chorando, me olhar no espelho do banheiro por horas, ouvir vozes na cabeça me falando sobre tudo que havia ocorrido naqueles 11 meses…  Começou por um casamento precipitado por pressões externas, abuso psicológico e sexual, imaturidade, religião rígida, machismo na criação, entre tantas outras coisas que ocorreram e não vale a pena relatar. Foram inúmeros os motivos para desistir, muita dor e solidão.

Perguntas constantes martelavam na cabeça: é isso mesmo? Vou passar o resto da vida assim? Será que sou doida? Sou eu a errada? Será possível que ninguém vê o que está acontecendo? Foram tantas perguntas… Nem sei quando elas pararam, só sei que em algum momento eu desisti de tentar fazer o que me falavam que eu deveria fazer. Já estava tão quebrada que as ameaças de morar na rua, ou ser punida por um Deus que não aceitava separação não me assustavam mais. Eu já estava sozinha a um bom tempo. E Deus? Ah, Deus tinha que ser mais do que punição!

Separação é um processo doloroso mesmo quando a escolha é sua. Muitos corações saem machucados e todos os caminhos que você segue têm um impacto , bom e ruim. Nesses últimos dez anos, foram tantas consequências que nem sei como consegui chegar aqui. Por alto, posso dizer que renasci…  Estava perdida, com um vazio imenso, sem autoestima, sem amor próprio, implorando por migalhas e com todas as razões para ser uma pessoa má.

Estava em uma busca desesperada para abafar a dor. Mas sem orientação, me afundei ainda mais. Me vi em relações que se iniciaram por motivos errados, se tornando abusivas ao longo do tempo. Mutilação física numa tentativa de esquecer a dor psicológica. Punição. Auto sabotagem. Um sentimento imenso de culpa, achando que não merecia ser feliz. Renasci. De alguma forma consegui transformar toda essa dor em energia para provar que eu era mais do que estavam me falando. Eu era mais do que eu achava que eu era. Eu era mais que as más escolhas. Eu era mais que as consequências de decisões erradas. Eu era mais. Mas algo ainda me motivava a provar algo a alguém. Aceitação. Morar com outras pessoas… trabalhar… estudar e estudar muito! Um desespero de chegar a algum lugar e mostrar que eu fiz a escolha certa, afinal qual filho não busca o orgulho dos pais?

Gasolina adulterada, que uma hora explodiu. Eu cheguei ao fundo do poço. Com o gatilho de um término de relacionamento e um “boom” de uma vida transtornada. Doloroso e necessário.  O que te consome por dentro acaba te destruindo uma hora. Era tanta dor, que eu queria acabar com aquilo… Morrer parecia uma forma rápida de acabar com toda essa dor que eu carregava ao longo dos anos, toda essa loucura de conquistar mais e mais para ter valor aos olhos dos outros. Eu quis desistir dessa historia dolorida que foi minha vida em todos esses anos.

Bem, eu não morri. Mas mergulhei em um processo longo em busca de paz interior. Eu parei para entender e aceitar tudo que tinha me acontecido, e tudo que tinha vivido. Todas as situações, relações, tretas… Eu parei para descobrir quem eu era… o que eu gostava… o que eu queria… o que eu amo… o que me motiva…  Eu parei e me olhei no espelho, e só então eu consegui me enxergar. Parece tão fácil, mas autodescobrimento é algo que chega a ser angustiante… Reviver suas historias e aceita-las. Mergulho na alma, que sem a terapia eu não teria conseguido. Ok, eu odiava ter que me abrir e me expor, me sentir frágil, mas com o tempo vi a diferença e o quanto foi necessário.

Hoje eu tento buscar todos os dias o que me faz feliz, o que me traz paz, posso dizer que me amo, que tenho consciência para me relacionar com o mundo de forma saudável.  Hoje eu sou dona de mim, consigo ver as minhas conquistas e comemora-las, sou dona das minhas ações, do que eu permito que me afete… não é fácil não se apegar a pedra que te derrubou. Ainda  cometo falhas, mas hoje posso dizer que sei quem eu sou. Não ando mais pela regra dos outros, pois é muito difícil viver assim.  Hoje eu consigo ver a menina que enfrentou o mundo, mesmo sem uma rede de apoio, em busca da sua liberdade. Eu consegui transformar a minha vida, e hoje eu comemoro… Faz 10 anos de um turbilhão de emoções. À Deus, gratidão! Ele não é punidor, e sim Aquele que dá força para nos transformamos no melhor que podemos ser.

Você não é aquilo que te impõe. Você não é suas escolhas erradas. Você não é aquilo que seus pais pensam de você. Você não é sua mágoa. Você não é um casamento frustrado. Você não é “fruto” de consequências. Você não deve se punir por isso. Você não deve se culpar. Você é seu triunfo. Alguém que nasceu do pó, descobriu como viver nesse mundo cruel, juntou as forças que não te deram, construiu seus muros de sobrevivência e ergueu sua voz para um grito humano e suplicativo de liberdade. Você é vitória, é luz, é amor, é gratidão e é perdão. Algumas lições nós aprendemos com exemplos, outras na própria pele.

27 anos. Uma loja. Um curso superior. Uma especialização. Um gato. Um cachorro. Experiências. Cicatrizes. Autoconhecimento. Liberdade. Muita vontade de viver!

5 Comentários

  1. Elisa Mara Nogueira

    Priscila, gosto de vc mais ainda ao ver que sua força é grande e genuína! Parabéns ao quadrado pelas suas vitórias internas e externas.

    Responder
  2. Eliane

    Priscila Você é maravilhosa! Guerreira…
    Parabéns pelas conquistas e por ser quem você é!

    Responder
  3. Lorhaine

    Muito feliz por você, é um grande exemplo pra muitas. Parabéns pela coragem . Nem todos conseguem passar pelo que passou. Admiro bastante você.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *