O tal do amor próprio

Como vocês sabem, eu faço pós em ginecologia e obstetrícia em Goiânia, e no módulo desse mês aconteceu uma situação engraçada. Eu peguei um uber pra ir até o shopping, e durante o percurso, a motorista começou a desabafar me contando a historia dela o que me lembrou desse tema tão importante que é o amor próprio.

Já ouviu falar que todo livro/post de autoajuda primeiro serviu pra ajudar o próprio autor? Pois é, não é diferente nesse caso. Como muitas pessoas, eu também passei pelos percalços ocasionados pela falta de amor próprio. Na maioria dos casos, essas “crises” de falta de amor estão relacionadas a relacionamentos e baixa estima. Se manifestando das mais variadas formas, quer seja se prender a um relacionamento fracassado por puro medo de ficar só, ou pagar aqueles vexames significativos em términos de relacionamento. Como a maioria dessas situações ocorrem com as mulheres, é a você amiga que vou me direcionar!

Amor próprio tem relação com EMPODERAMENTO, PRIORIDADES, LIMITAÇÕES e DESAPEGO. Sim… repito, desapego! Só ama alguém, quem primeiro, se ama! E quem se ama e ama a outra pessoa… Permite que a pessoa seja feliz, mesmo que não seja com você! É bem simples. Amor não é apego. Amor é liberdade de ir, mas também é escolha ficar.

É necessário que você empodere-se, que se conheça, que se ame do jeito que é, que aceite o seu lado “ovelha negra”, seu lado menos favorável. Também é preciso que você olhe no espelho e reconheça a pessoa fantástica que está refletida ali. Sabe por quê? As pessoas até podem nos julgar, serem cruéis e intolerantes… Mas você amiga, você não precisa ser tão má consigo mesma! Você precisa saber quem é… E se aceitar do jeito que é.

Outro ponto que deixamos de lado ao nos relacionar são as nossas prioridades, não é? Mulher tende a fazer isso. Só que a prioridade da sua vida tem que ser você! Sempre. Não deixe que outras pessoas te afastem dos seus objetivos. Se não é um amor que valoriza seus sonhos… Não é um amor que vale a pena se ter!

Conheça seus limites e os respeite! Se valorize, se ame em primeiro lugar, se aceite, melhore a sua sintonia. E assim, vibrando coisas boas você atrairá coisas melhores ainda.

Não se apegue! Não se prenda a relacionamentos fracassados… Não é porque você casou, engravidou, ou seja lá que tipo de relacionamento mantém, que será obrigada a viver sofrendo o resto da sua vida com uma pessoa que não te respeita. Amor é pra fazer bem, lembre-se disso!

Amor é leve, é tranquilo, é gostoso, tem saudade, tem risos e declarações… É assim que tem que ser. É claro que vai haver momentos difíceis, mas os momentos bons tem que ter peso maior nessa balança. Não permita que ninguém te dê menos do que você merece, não se sirva de migalhas, não aceite condições ridículas por medo de ficar só. Se baste! Esse é o segredo da felicidade.

Amor próprio ele se constrói, é um processo longo de autodescobrimento, de quebra de crenças e paradigmas. Busque e se torne no melhor que você pode ser. Assim, só assim você poderá manter uma relação saudável consigo e com as pessoas ao seu redor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *