Sobre companheirismo

Lave a cueca do seu marido. Seja você a esposa ou o marido dele. Use sabão em barra e pendure pra secar ao sol.

Lave a calcinha da sua esposa. Seja você o marido ou a esposa dela. Cuidado com as lingeries mais delicadas, elas demandam cuidado especial pra renda não estragar.

Lave a louça pro seu marido que, hoje, está cansado. Dê-lhe um beijo na testa, recomende que leia um livro e diga que você dará conta do trabalho de casa nessa noite.

Lave a louça pra sua esposa. Ela trabalhou até as 22h, está cansada física e psicologicamente. Foi um dia duro. Uma massagem nos pés vai ajudá-la a relaxar. Por quê não escolhe um jazz e a coloca pra dormir? Não esqueça, depois, de passar aquelas roupas e pendurá-las. As suas e as dela.

O problema não é ela lavar a cueca. O problema é quando ele não lava a calcinha. O problema não é ela lavar a louça até deixar a pia brilhando. É ele achar que a pia é pra ela e lavar o carro é pra ele. O problema é ele achar que tem que receber comida quentinha na mão, mas nunca revezar, ir buscar o pão e passar a manteiga pros dois, não só pra ele.

Um casal hétero ou homossexual precisa dividir todas as tarefas. Companheirismo não é só sonhar junto que quer visitar a Europa, é entender que aqui onde se vive tem muito a se fazer. Muito o que se ajudar. Duas boas cabeças e duas pessoas de atitude e iniciativa se ajudam mutuamente. Crescem e voam compartilhando o ato de viver.

Lave a cueca do seu marido. Lave a calcinha da sua esposa. Um casal bem sucedido se ama, se lava, se cria e se recria. A pia tá cheia de louça. Mãos à obra, moço. Mãos à obra, moça.

Fábio Chap é escritor e ativista. Autor do livro ‘Tive um Sonho Pornô.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *